Santa Monica explica porque Kratos não nada e esclarece uso de barcos

Quando o produtor de God of War, Cory Barlog, explicou em uma entrevista rápida que o tempo de gameplay dentro do barco seria em torno de 25% a 30% do total do novo jogo, muita gente ficou sem entender.

Mas agora está muito mais claro. Na verdade houve uma edição nesta parte da entrevista. Na versão completa o produtor explica (especula) que entre 25% a 30% da área (superfície) do jogo pode ser acessada através de barcos. E a resposta trouxe outra novidade interessante: Kratos não pode nadar (livremente) no novo jogo.

Em um novo artigo da Game Informer, Barlog revelou mais algumas curiosidades sobre o processo de desenvolvimento, explicando como os barcos (serão vários) se encaixam na proposta e como eles são úteis para auxiliar a narrativa.

Atreus e Kratos usam barcos por um motivo bastante simples: eles não podem nadar livremente. Mesmo que o espartano seja um guerreiro dotado de habilidades aquáticas, desta vez a natação não faz parte do seu repertório.

Quando começamos a olhar, em primeiro lugar, a quantidade absurda de investimentos necessários para se criar um sistema de natação em 3D, ficamos impressionados. E em segundo lugar: ter um personagem que acompanha você em plena natação 3D…os programadores me olharam ‘daquele jeito’.

Barcos são apenas meios de locomoção em God of War.

Diante destas circunstâncias, a equipe achou por bem focar investimentos em outras áreas do jogo, deixando a natação como uma implementação em eventuais futuros jogos. Mas o anti-herói ainda precisava, de alguma forma, se movimentar durante a aventura. Por isso a equipe pesquisou diversos tipos de alternativas, mas acabou optando pelos barcos vikings.

Mesmo assim, as mecânicas escolhidas não eram uma unanimidade dentro da própria equipe. Havia, inclusive, brincadeiras internas com a situação. Quando qualquer parte do jogo precisava ser revista, sempre surgia ‘sugestões’ como: “e se nós cortássemos o barco?”.

Mas a escolha tem suas vantagens. É possível trabalhar melhor o relacionamento de duas pessoas quando estas estão mais próximas. Com água por todos os lados, não é fácil escapar de uma interação. Nestas partes da jornada, Kratos e Atreus estreitam seu relacionamento com conversas e esclarecimentos.

Embora o uso de embarcações pareça uma parte muito importante da experiência, Cory deixa claro que as mecânicas em torno do processo não são complexas. “Não é um simulador de navegação“, enfatiza.

Não é o ponto principal do jogo. Definitivamente, é uma situação de percurso, da mesma maneira como você usa um cavalo em The Last of Us. É só lá. – complementa.

Talvez por ser uma perspectiva bem diferente dos títulos anteriores, os fãs estejam um pouco ressabiados com alguns pontos do jogo e como eles se encaixam em todo ‘universo God of War’.

O título ainda segue sem uma data de lançamento conhecida, mas parece que não deve demorar muito mais tempo para o tão aguardado anúncio.

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *